segunda-feira, abril 17, 2006

Shhhhh...

Fecha os olhos…
É noite… mas mais escura está a noite em mim…
No gesto delicado, levas tua mão ao rosto…
Como se uma pena flutuasse sobre tua pele jasmim…
Fechas a alma…
É dia… mas de claridade ausente…
Todo o brilho ficou retido na tua calma…
Toda a luz… claudicou nesse teu passado presente!
Fechas o coração…
Não és dia… não és noite… és intemporal…
És o tempo que não passa à acção…
És acção… sem gesto corporal.

(a sombra...sombreou aqui)

4 comentários:

mj disse...

disseste claudicou? ó balha-me deuzzzzzz, ehehe.
Gostei do ser dia de claridade ausente!!!!

DIV de divertida disse...

Triste??!!...
hhhuuummmm....
percebo....

bigada pela força.

jocas

AmigaTeatro disse...

:)

Anónimo disse...

Até de olhos fechados, em mim permanece o Dia... e não há noite sem luar ... e tudo isto é uma forma de estar...


PJ e Casimirinho