sexta-feira, abril 29, 2005

Vo(s)zes...

Vozes!!! Vozes de dia, vozes de noite... vozes à luz dos nosso olhos, vozes no escuro da sombra dos olhos adormecidos, vozes e mais vozes. Pergunto eu, qual a nossa verdadeira relação com as vozes que nos rodeiam?!!
Tanto vamos escutando no nosso dia a dia, palavras ocas repletas de futilidades, palavras opacas com as desinteressantes cores que vão persistindo na moda, palavras redondas e politicamente correctas que sabem encaixar-se nos discursos dogmáticos, palavras brilhantes e acesas que vão iluminando caminhos e queimando trajectos possíveis.
Palavras... traduzidas em vozes quotidianas, pareceres imparciais baseados nas vivências individuais prometem melhor caminho achar, para o bem-estar colectivo.
Vozes... mais que palavras que nos vão alimentando, elas de forma persistente, querem verdadeiramente dar-se a escutar, entoando a melodia que se esconde no verdadeiro significado de cada palavra, indo até muitas vezes contra o mais objectivo significado da palavra.
A voz... muito mais que transmissão de palavras, é sim, transmissão de mensagem... muito sábia ela é...revelando o escondido...e escondendo o revelado.
Falar de viva voz, não significa por si só entrarmos numa gritaria sem sentido...falar de viva voz, é sim... dar vida ao pensamento, dar emoções a «coisas» frias... é contribuir para que as imagens sejam personificadas dentro de nós, é fazer dessas imagens, parte de nós... é deixar que o nosso sangue assimile as notas musicais que a melodia vocal nos vai transmitindo.
A VOZ... se atender-mos bem à sua importância, bastará somente pensar nisto: Numa vida a dois... tudo invariavelmente vai-se alterando e renovado (há sempre mudança...para o bem e para o mal!), a pessoa que está do nosso lado, com o evoluir do tempo deixa de ter o corpo que tinha; as agruras e alegrias da vivência, ela própria, vai condicionando e enrugando, quer expressas na pele, quer pelas evidentes divergências (com o passado) na forma de pensar... TUDO vai sofrendo a erosão do tempo... todavia, existe a voz... a VOZ, essa que desde o primeiro dia ao último sopro de vida, essa sim, munida de toda a experiência da vida se mantém inalterável....reagindo do mesmo modo a circunstâncias distintas no tempo.
Será então com a voz que realmente aprendemos a viver em grupo...é com a voz de cada um que aprendemos a conhecer alguém.... é com a voz que saberemos interpretar os vários estados de humor... é pela voz que vamos adivinhando as emoções das pessoas... e é, no final, com a mesma voz de sempre que... para sempre poderemos regressar ao passado... viver o presente.... e sonhar o futuro, sendo que este «regressar», «viver» e «sonhar» poderá ser aliado, individualmente ou em grupo, ao «passado», «presente» e «futuro», sem qualquer tipo de ordem.
A vós, com minha voz...chego até vós, e este meu «eu» será sempre, para vós, muito mais que minha voz... será aquilo que sendo meu....é também de vós(z)!

2 comentários:

sun disse...

el.... :-)

regressa sempre, vive o mais intensamente que consigas e sonha como só tu sabes sonhar...mil beijos
da .... madrinha :-)* adorei*

zuzinha.zu disse...

Lipito meu...
Li com atenção. A voz nem sempre é o nosso retrato. Muitas vezes é apenas aquilo que é mais um simbolo de comunicação. A voz interior...o silêncio...
Gostei. Um beijinho da tua
matrixzinha(nunca pensei escrever isto...lol)