terça-feira, outubro 10, 2006

«No surprises»



Um dia... acordamos e... não reconhecemos quem somos e no que nos transformamos!
Mas, porque será que tudo isso não surpreende?! Se aquilo que somos é, em grande parte, fruto daquilo que construímos, não será estranho que esta sensação nos seja tão familiar. Podemos não saber em que nos transformamos, mas... certamente sabemos o que nos levou até aquele ponto.

6 comentários:

Cláudia Faro Santos disse...

"Pois é, pois é, há quem viva escondido a vida inteira(...)"

Som do Silêncio disse...

Sombra....falaste....e falaste muito bem!
É isso mesmo!!

mj disse...

"Não sei como é que no meio de tudo isto acabo por me salvar.Às vezes a sensação de ser duas pessoas, ou seja, o homem dos meus sonhos e o homem que anda por aí durante o dia, é tão forte e assustadora que tenho medo de me ver ao espelho e dar de caras com alguém que nunca vi." (...)

William Styron in "Que o fogo consuma esta casa"

Anónimo disse...

Descobrimo-nos em simples gestos,em simples momentos,em simples olhares...em aromas que vêm na brisa do vento trazendo recordações infinitas...em pensamentos perdidos no espaço que um dia voltaram para junto de nós...em pedaços de sonhos que se vão tornando reais...
Um caminho...muitas vidas...
Somos nadas...somos tudo...somos fogo...somos água fresca...somos uma ideia...um gesto...um olhar...um som...SOMOS NÓS!!!

Continuo a sentir-me muito bem aqui...agradeço toda a paz que me transmites.

Excelente escolha musical ;)

1 gesto de uma eternasonhadora...

kathy disse...

uma verdade irrefutavel

Mag'Ana Nefertiti disse...

É sempre bom saber que esse dia de não reconhecimento chegou antes que tarde seja! Quer dizer que ainda há tempo para redireccionar rumo. Se ainda por cima sabemos distinguir o que está mal até ao ponto de viragem, é em modesta opinião Ouro sobre Azul ou número do jackpot!

Saudações