sexta-feira, maio 19, 2006

Julguei...

Julguei… que fosses a suave maresia que envolve em orvalho as pétalas que o teu sorriso vai revelando aos poucos… mas… os teus olhos não são mais os raios de sol que outrora aqueciam as frescas manhãs marítimas…
Julguei… que poderias ser novamente a imagem reflectida na alma do meu olhar… mas não… és apenas neblina intensa que me conduz aos caminhos frios, duros e escorregadios das rochas encrostadas de algas…
Julguei… imensos cenários, mas… afinal… o mar aqui já não persiste… resta apenas a fina areia deste (agora) deserto! Sim… deserto… as ondas que o vento desenha na areia… não conseguem reavivar o teu sabor a mar… não existe mais esse mar… não existe mais... a presença do teu sal.

9 comentários:

Bruna disse...

Eu ando julgando muitos oásis no meio do deserto...

E como não existem oásis no deserto.. bem.. é isso!

Adoro seus textos!!

Beijos

Som do Silêncio disse...

É..
De facto por vezes julgamos que as coisas são de uma maneira, e quando olhamos melhor...já não é bem assim....

Sofia disse...

Gosto da forma como escreves!

Consegui sentir o meu deserto que é tal e qual o que descreveste.

um bj e bfs

DIV de divertida disse...

Bingo!
Que nem uma luva!
Até me assutei...
Telepatia?!...

jocas

Caçadora_de_sonhos disse...

Que lindo. Fico feliz por "ver" que voltaste ;0)

BB (O.ö) disse...

O deserto também abriga muita vida...
Assim como a noite... que tu tanto amas...

tonsdeazul disse...

Bonitas palavras. Tristes, mas bonitas.
E tal como a nossa amiga BB diz a areia do deserto também tem maravilhas. Agora só é preciso partir em busca delas.

Um abraço ***

Sofia disse...

vim deixar um beijinho!

Arthur disse...

Sheet, tu tens talento