quinta-feira, agosto 18, 2005

Entre Sol e Mar...

Porque será que o Sol tem imagem mais adorada, quando resolve-se a iluminar outras paragens?!! Porque será na despedida que Ele deixa-nos assim, cheios de vontade em manter a sua permanência?! Não deixa de parecer estranho que esse mesmo Sol, nos aqueça mais, precisamente no momento em que ele é menos quente… no momento em que parte…
Imensas vezes ficamos, parados no tempo assistindo o «afundar» do Sol no mar que nos inunda o olhar… ali estamos, inertes mas contemplando com todos os sentidos tudo o que tamanha visão nos transmite! Dá vontade mesmo de seguir pela estrada laranja que se desenha na ondulação do mar… mas, como em muitas circunstâncias, o melhor mesmo é não interferir, deixar desenrolar o rumo natural das coisas, aguardando pelo dia de amanha, para um novo e diferente momento, igualmente sentirmos!
É também assim que muito da nossa vida se vai desenrolando… por certo que existem momentos de fortes emoções e vibrações, há dias mesmo que para sempre iremos recordar, há por certos inúmeras gargalhadas que ficaram na retina dos nossos ouvidos… há imagens de forte emoção que vamos sempre rever na tela que reside na alma… há sempre palavras, ilusões, verdades, frustrações, alianças, afastamentos, abraços, sorrisos, olhares... há um infindável rol de vivências muito fortes, no entanto vamos também chegando à conclusão que no dia a dia, seja esse dia o mais movimentado ou o mais monótono de sempre, temos momentos e rotinas admiráveis.
Sei que não poderemos ser o Sol e tão pouco o Mar… mas, poderemos em grande parte ser aquele Pássaro que voa sobre as águas do Mar e lado a lado com o Sol. Podemos não ter a dimensão que o Sol e o Mar têm para todo o mundo, mas por certo que teremos a dimensão suficiente para que as asas que nos fazem voar (viver) consigam abarcar aquelas pessoas que existem no nosso mundo! Podemos não ter o alcance do Sol e do Mar… mas se calhar até nem será esse o nosso propósito… afinal de contas… dois mundos tão imensos e poderosos… que nem um no outro conseguem tocar… sonham que se encontram, que se tocam, que mergulham um no outro… que residem no mesmo fundo espaço universal, mas… na verdade… só nós… poderemos colocar em prática o sonho destes dois gigantes… só nós podemos e temos a capacidade de «tocar» no nosso próprio mundo e nas pessoas que nele habitam… só nós poderemos mesmo mergulhar nas memorias, vivência, alegrias, lágrimas, sorrisos do nosso mundo!
Afinal… no meio de tanto mar e sol… o ser maior porventura será… aquele que meio invisível vai vivendo. É tão fácil pensar pequeno… quando apenas o enorme conseguimos ver!
Eu… por cá continuarei… invisível em vários mundos… mas… com asas suficientes para abraçar os sonhos… que nas realidades de luz (sol) e de sal (mar) vão mergulhando!

2 comentários:

eddmorgan81081399 disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

A Natureza é sábia, a memória uma coisa imensa e os sonhos devem abraçar-se sempre, mas tem que ser com muita força.

MJ